logo-mundo-de-parentalidade

Leslie Potter / 12 POSTS ENCONTRADOS

Conheça a melhor dica para atingir a felicidade paternal e maternal: a prática do Lugar Seguro

por Márcia Carneiro
A prática do Lugar Seguro, criada por Leslie Potter, tem ajudado centenas de pais por todo o mundo a ultrapassar este obstáculo com que muitos lutam uma vida toda. E o seu fundamento é tão simples quanto profundo: se queremos dar aos nossos filhos o que nunca tivemos, precisamos de o dar primeiro a nós próprios. O Lugar Seguro é o local, físico e emocional, onde o colocaremos em prática.

Já pensou em que resultado espera obter ao criar o seu filho?

por Márcia Carneiro
O que o move ao criar o seu filho? Que objetivos de curto e longo prazo comandam as suas ações? Qual o resultado que quer alcançar? Talvez nunca tenha colocado a si própria estas questões de forma consciente, ou talvez sim, já o haja feito. Independentemente de ser consciente ou inconsciente, a realidade é que todos educamos os nossos filhos com um resultado em mente.

Crianças condicionais: esperar ou não pelos 6 anos

por Márcia Carneiro
Existem duas tendências predominantes entre os pais das crianças condicionais. Uma defende que as crianças devem entrar com 5 anos no 1º ciclo para assim ganharam 1 ano. Outra acredita que os pré escolares devem esperar até aos 7 para ingressarem no 1º ciclo de forma a terem mais tempo de serem crianças. Hoje quero partilhar a minha experiência, o meu percurso e a minha descoberta revolucionária, que alterou toda a minha forma de pensar e a escolha realizada.

Entenda o que é a perda da integração na Adolescência

O Dr. Gordon Neufeld descreve a adolescência como uma ponte entre a infância e a idade adulta. Para este prestigiado psicólogo do desenvolvimento, a adolescência não é um estado de desenvolvimento fixo, mas sim uma constante oscilação entre o ser criança e o ser adulto. E a integração na Adolescência é um factor importante. Saiba mais neste post.

A felicidade advém da coragem de ser quem verdadeiramente somos

por Márcia Carneiro
Possuirmos a coragem de ser quem realmente somos em vez de querermos ser alguém diferente é, para Sören Kierkegaard, a verdadeira fonte da paz e harmonia interiores e o antídoto do desespero. Porque ser quem verdadeiramente somos pode ser o ato mais corajoso que alguma vez teremos que realizar.

Não amo mais o meu filho adotivo. E agora? O que fazer? Como agir?

por Márcia Carneiro
Costuma pensar-se que uma criança que cresce numa família disfuncional, ou até sem ela, prospera quando finalmente recebe o amor de pais atentos e dedicados. Não é necessariamente o caso. Por vezes o ódio domina, como se os pais adotivos fossem os responsáveis pelos seus anos de maus tratos. Se quer perceber mais sobre o amor ou desamor por um filho adotivo continue a ler.

Parentalidade consciente, disparos inconscientes e um momento de clarividência

por Márcia Carneiro
Um dia dei por mim a gritar com a minha princesa e a descarregar nela toda a minha fúria. Já nem me lembro qual o gatilho, que comportamento dela me havia irritado tanto. Só sei que tive consciência que precisava de parar. Dei um passo atrás, ainda a gritar, e sentei-me no meu Colo Seguro.

O que é Ser Feliz? Esta é a minha opinião!

por Márcia Carneiro
Para mim, ser feliz é deliciar-me com a inteligência da minha filha e com a compreensão do meu marido. Mas é, principalmente, sentir segurança e serenidade no meio das discussões, birras e desapontamentos. Para mim, ser feliz, foi durante décadas uma ilusão. Durante quase 40 anos raramente me senti feliz, quase nunca me senti realizada.

Quem sou eu para o meu filho?

por Márcia Carneiro
Muito se fala e escreve sobre como ser pai. Mas o que raramente se diz é que o verdadeiro segredo está no contexto. E o contexto é a relação que estabelecemos com os nossos filhos. “Quem sou eu para o meu filho?” Esta é a pergunta que devemos colocar a nós próprios. “Eu sou a resposta, mesmo quando não tenho respostas.” Esta é a solução.

Quando foi a última vez que me ofereci bondade?

por Márcia Carneiro
Hoje escrevo sobre Bondade. Hoje desafio-os a pararem por um momento e refletirem sobre a vossa capacidade de serem bondosos para com vocês mesmos. Para mim, descobri há já algum tempo, é algo extremamente poderoso. E totalmente contranatura.