logo-mundo-de-parentalidade

Relacionamentos / 17 POSTS ENCONTRADOS

Relacionamentos amorosos: o que muda com a chegada dos filhos?

por Márcia Carneiro
A chegada de um filho pode mudar os relacionamentos amorosos previamente existentes. Muitas são as mulheres que se queixam dos seus companheiros após a maternidade. Eles não ajudam o suficiente, eles não as compreendem, eles parecem não fazer a sua parte no que à criação e educação de um filho diz respeito. Neste artigo explico o que acontece a um relacionamento amoroso após a chegada dos filhos. Mas atenção: pode não gostar do que vai ler.

5 filmes e 1 série de TV que todas as esposas devem ver

por Márcia Carneiro
Este post foi concebido para ajudar todas as esposas, companheiras ou namoradas a perceberem melhor os seus parceiros, a si mesmas e as dinâmicas próprias de um relacionamento amoroso. Para uma maior compreensão de tudo isto, ou para quem possua um desejo de aprofundar estes tópicos, partilho alguns filmes e 1 série televisiva com os quais me identifico.

Ensinar os filhos a respeitar os mais velhos. Porquê?

Vejo imensos pais, eu muitas vezes incluída, a grunhir para os filhos a frase “tens que aprender a respeitar os mais velhos”. E eu pergunto: Quem respeita os mais novos? Quem respeita a timidez natural e saudável de um ser humano em desenvolvimento quando se o obriga a dar um beijo que ele não quer dar?

5 Livros para as mulheres entenderem os relacionamentos amorosos

por Márcia Carneiro
Este post foi concebido para ajudar todas as mulheres casadas, companheiras ou namoradas a perceberem melhor os seus parceiros, a si mesmas e as dinâmicas próprias dos relacionamentos amorosos. Assim, partilho alguns livros com os quais me identifico. Espero que desfrute desta lista e aproveite ao máximo cada uma das minhas recomendações.

O lado negro do Amor: entenda o desvinculo defensivo

Hoje quero falar da defesa instintiva que mais destrói lares e famílias. Do instinto de defesa que nos leva a deserdar filhos, a abandonar pais e até a assassinar cônjugues. Hoje quero abordar o lado negro do Amor. Hoje quero falar-vos do desvinculo defensivo, a defesa do desespero, a defesa que surge quando todas as outras falharam, a defesa que antecede a catástrofe quando não é compreendida e bem abordada.

Dicas para Pais: Como compreender o Egocentrismo do Adolescente

No dia-a-dia de um Pai quase nada é tão irritante como o egocentrismo do seu adolescente. É muito difícil perceber a aceitar que esse mesmo egocentrismo é não só normal como possui um papel essencial na maturação dos nossos filhos. E os pais, desesperados, irritados e assustados, perguntam-se: onde é que eu errei? Como fui capaz de criar um filho tão egoísta?

Porque nada faço quando tudo quero fazer?

Por vezes faço coisas de que não me orgulho. Ou melhor, a maioria das vezes sinto que peco pela inatividade. Quando um amigo ou familiar passam um mau bocado eu mantenho-me afastada, não movo uma palha para ajudar. Chocados? Indignados com tamanho egoísmo? Juntem-se ao clube. Eu certamente que o estou. Continue a ler para perceber.

Mãe desesperada, esposa revoltada, filha magoada: o mesmo desabafo!

por Márcia Carneiro
Eu sei que estou a exagerar. Eu sei que estou a agir como uma criança, como a criança que um dia fui e precisou de desenvolver estas estratégias, estas formas de atuar para sobreviver. Mas neste instante não há mindfulness que ajude, não há respiração ou mantras que impeçam o meu agir.

A importância de pedir ajuda e apoio: Lean On Me

Estávamos nos primeiros dias de 2013. No rádio escutava-se uma versão atualizada de “Lean On Me”. A minha prima debatia-se com a vida… e com a sua capacidade de pedir ajuda. Enviei-lhe um link desta música. Enquanto tivermos pessoas em quem nos apoiar nada é verdadeiramente invencível.

Amar. O que é verdadeiramente amar?

por Márcia Carneiro
Amar. O que é verdadeiramente amar? Não sei nem tenho pretensões de saber o que realmente é o amor em teoria, e duvido que alguém alguma vez o saiba com toda a certeza. Mas sei o que é para mim amar, o que acreditava que fosse, o que percebi que não era, o que senti ser para depois me enganar e o que sinto agora ser. Até um dia, ou quem sabe, para todo o sempre.