logo-mundo-de-parentalidade

Medos / 31 POSTS ENCONTRADOS

O fim de um sentimento de incapacidade

por Márcia Carneiro
E de repente, num dos momentos mais difíceis da minha vida, após 5 dias de febre e vómitos intensos, de 5 noites sem dormir, de inúmeros momentos de tristeza e impotência perante uma filha que chora e geme nos nossos braços sem que saibamos mais o que fazer para ajudar, eu senti-me em paz.

O que fazer quando não entende o seu filho

por Márcia Carneiro
Uma das situações mais aflitivas para uma mãe é quando percebe que não consegue entender o filho. E na sociedade atual esta é uma realidade que atinge cada vez mais lares. E você? Já alguma vez experimentou tal sensação? Algum dia se sentiu perdido e sem perceber o seu filho? Sem saber o que fazer para o auxiliar? Se sim continue a ler pois vai ficar surpreendido com a solução.

Hoje todas as minhas feridas sangram, todas as escaras estão abertas

por Márcia Carneiro
Hoje todas as minhas feridas sangram. Hoje todas as escaras estão abertas e se fazem sentir. É o medo de o meu marido não voltar. É o medo de ele voltar, mas não inteiramente. Será que vou ter de voltar atrás? Será que a vida me vai derrotar? E, por fim, é o mais importante, a razão de tudo ser. É a minha filha que não quero estragar.

Pequenos momentos que representam grandes Lições de Vida

por Márcia Carneiro
Hoje quero falar de momentos que mudam a nossa vida. Momentos que a transformam para sempre, que separam a nossa existência em antes e depois. Não, não quero refletir sobre o nascimento dos filhos, o dia do casamento ou a morte de alguém querido. Mas sim de aqueles pequenos momentos, praticamente insignificantes e que facilmente nos podem escapar, mas que representam verdadeiras Lições de Vida.

Tens a certeza que sabes o que é Ser Feliz?

por Márcia Carneiro
O que é Ser Feliz? Para mim ser feliz é sentir alegria, prazer, serenidade. É sentir-me viva e completa no momento presente, no instante a ser experienciado. Mas para mim, ser feliz, foi durante décadas uma ilusão. Durante quase quarenta anos raramente me senti feliz, quase nunca me senti realizada. E isto quase desde que me lembro de mim. E tu? Sentes-te feliz? Consegues ser feliz?

Quando a nossa filha diz: “Mamã, quero dormir sozinha!”

por Márcia Carneiro
Há já algum tempo que a minha filha me dizia, esporadicamente, que queria ir dormir sozinha para o quarto dela. Fiquei alerta, a ver no que iria dar. Com o tempo começou a falar disso com mais frequência e, inclusive, a referi-lo na hora de dormir. E um belo dia o assunto aprofundou-se.

Onde estão os teus limites?

por Márcia Carneiro
A questão crucial em cima da mesa, após a minha filha nascer e em todo o meu relacionamento, foi e é: “Onde estão os teus limites? Como os defines, defendes e comunicas? Onde estão as tuas fronteiras pessoais? És capaz de as implementar ou esperas que os outros as adivinhem?”

Quem sou eu se me amar e aceitar tal como sou?

Quem sou eu sem a validação dos outros? Quem seria eu se não estivesse tão dependente de validação externa? Não sei, ainda lá não cheguei. Primeiro tenho que me perguntar: “O que me impede de oferecer a mim própria amor e aceitação incondicionais? Qual é a história, a interpretação, a fantasia que bloqueia o meu caminho?”

Alguma vez pensaste como queres nascer como Mãe?

por Márcia Carneiro
O meu bebé nasceu numa cesariana marcada com antecedência e com direito a anestesia geral. Não por minha escolha, mas por impossibilidades reais de ter um parto normal. Mas a verdade é que quando me começaram a falar da probabilidade de ter de ser uma cesariana eu senti algum alívio e desejei que o cenário não mudasse. O que eu não sabia, pelo menos ainda, é que não há como fugir da nossa verdadeira natureza.

O desafio da Maternidade: esta é a minha história

Quando a minha filha nasceu o meu mundo mudou. Mas não como tinha sido anunciado. Quando a minha filha nasceu eu percebi que nunca na minha vida me tinha sentido tão incompetente, tão desadequada, tão fora do meu elemento. Nunca na minha existência tinha tido tanta vontade de fugir. Nunca na minha presença na terra tinha sentido tanto medo.