logo-mundo-de-parentalidade
ÚLTIMOS POSTS

A minha loucura existencial: tenho medo de viver!

13 September, 2019
Eu não quero sonhar, eu não me permito sonhar. Eu tenho medo de simplesmente ser, sem máscaras nem armaduras, sem defesas nem planos secundários. Eu tenho medo de viver. Eu tenho medo! E é essa a minha vulnerabilidade essencial, o meu bocado rejeitado, a minha loucura existencial: tenho medo de viver. E como tal vivo uma vida sem realmente me permitir viver.

Lista da Maternidade: entenda o que levar no dia do parto

11 September, 2019
Já todos escutamos histórias de mães que deram à luz antes de terem a Mala da Maternidade preparada. Levar essa preocupação para a sala de partos não deve ser nada agradável. E deixar para o futuro pai essa tarefa titânica não deve ser nada reconfortante. Se está grávida e no processo de elaborar a sua própria lista da maternidade, dê uma vista de olhos ao que sugiro neste artigo.

Crianças condicionais: esperar ou não pelos 6 anos

10 September, 2019
Existem duas tendências predominantes entre os pais das crianças condicionais. Uma defende que as crianças devem entrar com 5 anos no 1º ciclo para assim ganharam 1 ano. Outra acredita que os pré escolares devem esperar até aos 7 para ingressarem no 1º ciclo de forma a terem mais tempo de serem crianças. Hoje quero partilhar a minha experiência, o meu percurso e a minha descoberta revolucionária, que alterou toda a minha forma de pensar e a escolha realizada.

Entenda porque os sentimentos são a expressão consciente das emoções

Os sentimentos amadurecem-nos. Sentir faz-nos crescer, psíquica e emocionalmente. Sentir é parte imprescindível de desenvolvermos todo o nosso potencial humano e vivermos uma vida feliz, plena de sentido e realização. Os sentimentos são a expressão consciente das emoções, as pontas visíveis dos icebergues que representam todo o nosso mundo emocional.

Descubra 9 Livros sobre Maternidade essenciais para todos os Pais

Este post foi criado para ajudar todas as mães e pais que se debatem com as dificuldades de educar um filho no contexto social, económico e cultural atual. O objetivo é informar, esclarecer e, se possível, através da indicação de livros interessantes despertar o interesse por uma nova forma de criar os futuros adultos de amanhã.

O Poder da Prolactina: porque nunca me apeteceu atirar a minha filha pela janela?

A razão pela qual eu nunca quis atirar a minha filha pela janela fora poderá ter sido bem simples. Poderá ter sido uma questão hormonal: o efeito da Prolactina, a hormona responsável pela produção de leite. Enquanto a mulher amamenta a Prolactina mantém-se alta, por isso, é também conhecida como a hormona da maternidade carinhosa, sendo responsável pelos instintos protetores maternais.

Ensinar os filhos a respeitar os mais velhos. Porquê?

Vejo imensos pais, eu muitas vezes incluída, a grunhir para os filhos a frase “tens que aprender a respeitar os mais velhos”. E eu pergunto: Quem respeita os mais novos? Quem respeita a timidez natural e saudável de um ser humano em desenvolvimento quando se o obriga a dar um beijo que ele não quer dar?

Conheça agora 5 filmes notáveis recomendados para todas as mulheres

Neste artigo quero sobretudo celebrar o facto de cada mulher corresponder a um ser humano único e com desejos e necessidades próprios antes de ser mãe ou esposa. Considero essencial festejarmo-lo e não apenas relembramo-lo. Por isso partilho 5 filmes que têm sido essenciais ao meu crescimento e acredito que serão ao seu também.

Louca, esquizofrénica, psicótica? Ou sou simplesmente adolescente?

Sinto-me inacabada. Como se uma parte de mim nunca tivesse nascido ou então se tivesse perdido pelo caminho que é a vida. Procuro-a desesperadamente, faço tudo para a encontrar e temo que tudo o que vou conhecer é o fracasso, para sempre, para todo o eternamente.

Venha descobrir porque somos prisioneiros das Redes Sociais

Se há algo que as redes sociais me mostram é o quanto vivemos sozinhos. E o quanto perseguimos o sentimento de pertença sem nunca o verdadeiramente alcançar. Somos seres que precisam de outros seres para se sentirem vivos. Somos seres sociais, seres que precisam de calor humano como de ar para viver. Mas quantos o encontramos verdadeiramente?

Será que devo amamentar ou não? Eis a questão!

Quis amamentar. Falhei. Pelo menos em parte. Mais tarde quis perceber porquê, compreender melhor o que tinha corrido mal comigo e o que desesperava tantas das recém mães que acolhia no balcão da farmácia. Formei-me como Conselheira de Aleitamento Materno (CAM). Mas a lição mais importante, o espírito de quem sou como CAM criou-se bem antes do curso, num desses momentos da vida que nos mudam para sempre.